Comércio e Serviços em Pernambuco avançam lentamente

Artigo Publicado Originalmente no Movimento econômico em 17 de setembro de 2021

Mesmo diante de uma adversa situação financeira para o consumidor, o comércio e os serviços iniciaram o segundo semestre registrando aumento de vendas em Pernambuco.

Ao que parece, o ímpeto de compras dos pernambucanos foi reativado, basicamente, pela reabertura mais intensa das atividades no setor a partir de junho. Isso por que, ainda que as condições desse retorno não sejam as mais favoráveis para o consumo, julho marcou a retomada para um nível de vendas pré-pandemia.

No mês em referência, de acordo com a Pesquisa Mensal do Comércio (IBGE), o índice de volume de vendas (faturamento corrigido pela inflação) do varejo tradicional, com ajuste sazonal e base em fevereiro de 2020, cresceu 5,9%.

Já no conjunto de atividades compreendidas pela Pesquisa Mensal de Serviços – o IBGE não considera o segmento financeiro, a educação e a saúde –, a variação ficou em 3,9%. Uma exceção ao caso dos serviços se verifica para o conjunto de atividades relacionadas ao turismo, que ainda não recuperaram um patamar de faturamento real compatível com os tempos de “normalidade”.

É compreensível, por outro lado, que essas atividades enfrentem um desafio maior em sua trajetória de recuperação. Afinal, tratam-se de atividades essencialmente aglomerativas – hotelaria, lazer, entretenimento e alimentação, pelo que foram as mais impactadas durante o auge da crise sanitária, momento em que a atenção das famílias foi quase exclusivamente voltada para o consumo de bens e, no máximo, para os serviços digitais – ou também para serviços adaptáveis ao atendimento online.

No comércio, a exceção fica principalmente para o segmento de hipermercados, supermercados e produtos alimentícios e o de móveis e eletrodomésticos. No primeiro, destaca-se a necessidade de os consumidores ajustarem a sua cesta mensal para continuar comprando diante do aumento constante no preço de alimentos e bebidas, o que acaba impactando no volume de vendas. No caso de móveis e eletrodomésticos, há uma tendência ao ajuste do desempenho apresentado pelo segmento no ano passado, quando cresceu 25,0%, apoiado pela disponibilidade do auxílio emergencial e a necessidade de isolamento social. 

Agora, no segundo semestre, depois de praticamente um ano e meio tentando minimante persistir, o setor de comércio e serviços seguirá em seu desafio de sobrevivência. Será um desafio com muitas etapas a superar. Entre elas, o fato de a reabertura das atividades ter iniciado em meio ao acirramento da turbulência política, de incertezas sobre a condução da economia, e com aumento constante de custos, via combustíveis e energia elétrica.

Há também a necessidade de retomada da confiança dos consumidores até que a imunização esteja completa, bem como os percalços que estes andam passando para conseguir se alimentar e manter o básico da qualidade de vida que tinham antes da pandemia.

Esse aperto no lado da demanda, aliás, é o principal limitante à expansão do setor terciário, que tem um peso relevante para a economia do Estado – representa ¾ do valor adicionado bruto pelos setores de atividade. Pernambuco coleciona alguns indicadores nada favoráveis até então, no ano de 2021: a inflação no Grande Recife é a quinta maior entre as regiões metropolitanas; a taxa de desemprego no Estado é recorde e a maior entre as unidades da federação; a massa de rendimentos das pessoas ocupadas ficou estagnada no último trimestre; e quase 4 em cada 5 famílias estão endividadas, sendo que 30% se dizem sem condições de pagar contas que estão em atraso.

E apesar de o emprego formal estar se recuperando, o índice de intenção de consumo das famílias (ICF), medido pela Confederação Nacional do Comércio (CNC) revela que a insegurança com relação à estabilidade do mercado de trabalho será mais um fator contrário à expansão no último trimestre.

*Ademilson Saraiva é economista, especialista em coleta e análise de Microdados, pesquisa e sondagem de opinião, análises conjunturais e sócio da Ceplan Consultoria

Deixe um comentário